Contador de animais mortos pela nossa gula!

Número de animais mortos para carne, leite e ovos, desde desde o momento em que abriste esta página. Isto não inclui os biliões de peixes e outros animais aquáticos mortos anualmente, pois o número é imensurável.

Baseado nas estatísticas de 2007 da FAO (Food and Agriculture Organization) Global Livestock Production and Health Atlas.

Coloque este contador em sua página »

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Motivação

-Estás de rastos, sem força, sem esperança, mas de um momento para o outro sentes uma energia estranha, não sabes de onde veio mas sabes onde te leva.

Levantaste e voltas a ti.




A motivação será sempre o nosso combustível.



Porque estas semanas até ao Natal serão criminosas, deixo uma música para me ajudar neste deserto até às férias escolares do Natal, porque as do trabalho já eram!


O hiphop ainda é ostracizado. Ultimamente tenho dado particular atenção a este estilo de música que confesso não ser das primeiras escolhas mas que  tem crescido em Portugal, não em termos de popularidade mas sim em qualidade. A critica, omnipresente, tem sido cada vez mais elaborada, inteligente e, principalmente, educada. 

9 comentários:

  1. Eu bem preciso de me manter motivado para conseguir atingir os meus objectivos. É bom ver estes posts! :)

    Quanto ao hiphop confesso que não conheço muito mas vou tentar estar mais atento.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim mais atento é suficiente. O desconhecido é bom!

      Eliminar
  2. Generalizando a coisa, o Hip Hop original em termos musicais morreu em meados/finais da década passada, tudo muito em culpa pela massificação do movimento e da morte de duas das suas maiores personagens: 2Pac e The Notorious Big.

    A partir daí, o Hip Hop começou a passar uma imagem sem alma, e de procura de fama e de divertimento, um pouco fora daquilo que se passava realmente nos bairros. Foi um pouco, em termos de comparação, aquilo que se passou com a música de "combate" criadas por artistas como José Mario Branco ou José Afonso, passou de música de combate a um sistema que ostracizava, para música fixe e de massas. E isto pode até nem ser mau, mas em quase 100% dos casos é...

    O bom Hip Hop português ainda vive, infelizmente graças à actual situação que o país atravessa. Acho que tirando o Sam the Kid e o Boss AC, não houve assim mais grandes artistas que tenham feito a passagem do bairro para o mainstream, e aqueles que fizeram desaparecem ao final de uns tempos, pois não há apoio suficiente do estilo em Portugal. Assim que passas a assinar um contrato com uma editora grande, os teus amigos de "bairro" esquecem-te. Tu já não é os miúdo ostracizado, passaste a fazer parte do sistema, por isso és olvidado...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. P.S: isto de ainda pensar que a década passada é a de 90 é lixado. Por isso, ali quando falo de década passada, quero falar da década de 1990. My bad...

      Eliminar
    2. Aqui está uma boa compilação. Olhando para trás foi mesmo isso que aconteceu, naturalmente e infelizmente amovem para tantas outras áreas do divertimento e não só. Realmente os que saen dos bairros ou do círculo que de certa forma os influenciou ficam sem a matéria prima e desaparecem. Outros, um pouco mais atentos, conseguem manter-se no topo e os dois casos que indicas são perfeitos.
      Obrigado pelo comentário rico em informação. Volta sempre para ajudar :)

      Eliminar
    3. Não tens de quê ;)

      Apesar de me considerar um melómano, não é dos estilos que mais goste de ouvir. Um pouco, lá está, por causa daquilo que te falei ali em cima. Apesar de não desgostar e de procurar muitas vezes no Youtube, malhas que saíram de Brooklin :)

      Eliminar
  3. Eminem ora aí está um que gosto de ouvir e o filme tb ficou optimo :P

    ResponderEliminar

post it